China vai intensificar esforços para fornecer melhores cuidados aos idosos


À medida que a China se depara com o crescente envelhecimento da população, o governo se comprometeu a oferecer melhores serviços e instalações para os idosos, e dar um forte impulso à demanda doméstica.

Os cuidados com idosos permanecem no topo da agenda do relatório de trabalho do governo deste ano, que disse que medidas significativas seriam tomadas para desenvolver o cuidado aos idosos, especialmente os serviços comunitários de cuidados a idosos.

O número de pessoas na China com 60 anos ou mais chegou a 250 milhões até o final de 2018, respondendo por 17,9% da população do país.

“A crescente demanda desencadeará um maior potencial de mercado na indústria de tratamento sênior da China”, disse Tang Wenxiang, fundador do Fullcheer Group, um importante fornecedor de serviços para idosos com sede em Changsha, capital da província de Hunan, na China central.

O Fullcheer Group possui 50 filiais em mais de 10 províncias e cidades, com um total de 5.000 leitos. Tang espera que o número de leitos de sua empresa aumente para 50.000 em cinco anos.

“Ainda há uma lacuna enorme entre a demanda do envelhecimento da população da China e o número de centros de idosos”, disse Tang.

VEJA TAMBÉM: Segredo da Longevidade pode estar em uma planta japonesa

O país fornecerá apoio a instituições que ofereçam serviços na comunidade, como creches, tratamento de reabilitação, serviços de alimentação assistida e serviços de ginástica ao ar livre, usando medidas como isenções e impostos e taxas, apoio financeiro e tarifas mais baixas para água, eletricidade e gás. e aquecimento, de acordo com o relatório de trabalho do governo.

Tang disse que as medidas do governo para desenvolver serviços de assistência a idosos aumentaram consideravelmente a confiança dos empresários que administram empresas no setor.

Desenvolver a indústria de cuidados a idosos é bom para melhorar o bem-estar das pessoas e estimular o consumo, disse Xu Hongcai, economista do Centro de Intercâmbio Econômico Internacional da China.

“O consumo de idosos exige o fornecimento do mercado de idosos, oferecido pelo governo e pelo mercado”, disse ele.

Um relatório de pesquisa divulgado pela Guolian Securities sugere que uma série de políticas foi realizada na China para incentivar a participação do setor social na indústria de assistência sênior, o que impulsionará o consumo do país nos setores médico e de saúde.

À medida que a China abre esse setor, empresas estrangeiras como a francesa Orpea e a japonesa Nichii têm explorado o mercado de serviços para idosos na China.

A China ainda carece de protagonistas no mercado de cuidados a idosos, que inclui cuidados de enfermagem, dispositivos auxiliares de reabilitação e necessidades diárias para idosos, disse Tang.

O sistema de seguro de cuidados a longo prazo ajudará a aumentar a taxa de ocupação de algumas instalações de serviços para idosos, dado que um número de pessoas idosas dificilmente poderá arcar com as despesas, de acordo com Tang.

Texto publicado em inglês no China.org.cn e traduzido pela Revolução Prateada.

Como pode ver, a Economia da Longevidade é uma realidade. E as empresa precisam se adaptar a ela e criar novas formas de serviço e mercado para atender o novo perfil do consumidor. Continue no Blog da Revolução Prateada e tenha mais conteúdos como esse.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *