Como viver mais: laços sociais fortes podem ser a fórmula secreta para uma vida longa


É bem compreendido que a chave para uma vida longa e feliz se resume em uma dieta saudável e equilibrada. O que pode surpreender é o papel que a amizade desempenha na ampliação do relógio.

Viver mais é uma meta que praticamente une todos. O que divide as pessoas é o tempo que elas querem ir para prolongar sua vida útil. Encontrar o que funciona é muito mais difícil do que encontrar o que não funciona, já que muitas decisões de estilo de vida pobres podem, aparentemente, encurtar a expectativa de vida. A evidência mostra que viver mais tempo está ligado à felicidade e ter uma forte rede de apoio. Um estudo sugere que a amizade fornece uma dose saudável de ambos.

Um estudo longitudinal australiano sobre o envelhecimento descobriu que relacionamentos próximos com crianças e outros parentes tiveram muito pouco impacto em quanto tempo você mora, mas as pessoas com mais amigos tendem a sobreviver mais que os 22 por cento.

Uma revisão clínica de quase 150 estudos suporta essa afirmação. Descobriu-se que pessoas com fortes laços sociais tinham uma chance 50% maior de sobrevivência, independentemente da idade, sexo, estado de saúde e causa da morte, do que aquelas com vínculos mais fracos. (A conclusão foi baseada em informações sobre mais de 300.000 indivíduos que foram acompanhados por uma média de 7,5 anos.)

De acordo com os pesquisadores, o risco para a saúde de ter poucos amigos era semelhante ao de fumar 15 cigarros por dia e representava um risco maior para a saúde do que ser obeso ou não se exercitar em termos de redução da sua vida útil.As evidências sugerem até mesmo as amizades mais significativas que uma pessoa forma, mais felizes elas serão.

Um estudo multi-geracional sobre a felicidade realizado na cidade de Framingham, Massachusetts, acompanhou três gerações de moradores de Framingham e seus filhos para descobrir tendências na forma como a felicidade se espalha entre a população.

Como viver mais: a amizade é a fórmula chave, sugere estudos (Imagem: Getty Images)

Outra linha de pesquisa sugere que os comportamentos de cuidado desencadeiam a liberação de hormônios que reduzem o estresse.

Harvard Health

As principais conclusões do estudo foram:

  • A felicidade individual se espalha através de grupos de pessoas, como um contágio
  • Quanto mais pessoas felizes você adicionar à sua vida, maior o efeito positivo que ela terá em você. (Isso não é verdade de tristeza.)
  • Os amigos geograficamente próximos (e vizinhos) têm o maior efeito na felicidade.

Conforme relatado pela Harvard Health, a conexão com as pessoas pode trazer vários benefícios fisiológicos e neurológicos: “Os cientistas descobriram que isso ajuda a aliviar os níveis prejudiciais de estresse, que podem afetar negativamente as artérias coronárias, a função intestinal, a regulação da insulina e o sistema imunológico. .

“Outra linha de pesquisa sugere que os comportamentos de cuidado desencadeiam a liberação de hormônios que reduzem o estresse”, acrescentou.

Como aponta o site de saúde, é também uma das maneiras mais fáceis e gratificantes de levar uma vida longa e saudável: “É barato, não requer equipamento ou regime especial, e podemos nos engajar de muitas maneiras.”

A qualidade das relações conta, disse o órgão de saúde: “Um estudo descobriu que as mulheres de meia-idade que estavam em casamentos altamente satisfatórios e relacionamentos do tipo conjugal tinham um risco menor de doença cardiovascular em comparação com aqueles em casamentos menos satisfatórios.”

A pesquisa também identificou uma série de atividades que se qualificam como apoio social, desde ofertas de ajuda ou conselhos até expressões de afeto.

Além disso, as evidências sugerem que os efeitos do suporte social para melhorar a vida se estendem tanto ao doador quanto ao receptor.

Ter uma rede de relacionamentos importantes também pode fazer a diferença.

Um grande estudo sueco de pessoas com 75 anos ou mais concluiu que o risco de demência era menor naqueles com uma variedade de contatos satisfatórios com amigos e parentes.

*Texto escrito em inglês por Adam Chapman e traduzido para o blog da Revolução Prateada.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *