Futuro da saúde é investir em tecnologia para idosos


INOVA CEARÁ | Iniciativas voltadas para o público idoso são crescentes no País, mas ainda deficientes, caras e não chegam para a maioria

O segmento de saúde no Brasil busca evoluir com projetos que atendam a um público crescente de idosos. Inovações na área da biotecnologia e o crescimento de profissionais da bioinformática (informática com foco na saúde) devem tornar palpável iniciativas antes muito caras no País.

CEO da Health Innova Hub – hub digital de inovação em saúde -, o médico Fernando Cembranelli acredita que com o desenvolvimento tecnológico nos próximos anos veremos a evolução do ser humano. “Estamos vivendo um momento de revolução digital na saúde em todos os aspectos. O grande desafio que vivemos no Ceará e no Brasil é que essas inovações cheguem à saúde da população”.

Oportunidade para o segmento que, de acordo com o médico, é um dos maiores negócios do mundo, é que soluções para idosos sejam desenvolvidas por empreendedores.

“Por mais que falemos em tecnologias, no Brasil, existem ofertas muito sofisticadas, mas ainda faltam coisas muito básicas, que inclusive os alunos do Sesi (Serviço Social da Indústria) podem desenvolver e que podem beneficiar boa parte da população”, afirma.

O uso de equipamentos inteligentes também será realidade nos próximos anos. Tecnologias vestíveis, como relógios inteligentes que monitoram frequência cardíaca e pressão arterial, por exemplo. A finalidade, explica Cembranelli, é “levantar a possibilidade de um médico saber como está nossa situação de onde ele estiver”. O desenvolvimento de tecnologias que estejam nos smartphones também foi abordado pelo médico como solução para saúde.

As previsões para o segmento de saúde fizeram parte da programação do Inova Ceará 2019, realizado, ontem, na Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Membro do centro de Excelência e Inovação da Fiec e coordenador do evento, Mário Gurjão explica que a temática da “Competitividade ao alcance de todos” moveu o evento, que foi colaborativo, com contribuição de mais de 200 empresas. A esperança é de que empreendedores cearenses usem as informações para investir nos diversos setores, como saúde.

Ele diz que num cenário de recessão econômica, o empreendedorismo emergiu com muita força no Ceará. No quesito inovação, crê que “as coisas estão melhores do que já foram há cinco anos, mas ainda deixam a desejar”.

 Palestra

Na abertura do evento, o sócio-diretor da Plugar, Rafael Barcellos, proferiu palestra em que explica como empresas menores podem se beneficiar das inovações. “Vim aqui com a missão de demonstrar que mesmo sendo micro ou pequeno se tem condições de fazer uso dessa tecnologia”.

 

* Texto publicado originalmente  no site O POVO e reproduzido no blog Revolução Prateada.

 

Continue no Blog da Revolução Prateada e veja outros artigos como esse!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *